Félix Pagaimo Photography

Perdido pela fotografia, possuído pela beleza, sugado pela tua existência. Aqui está o que vejo por trás das lentes.

Inspiração e Conhecimento

Existem diversas formas de obter inspiração, umas menos óbvias que outras, mas todas com a sua importância. Só fotográfo à cerca de 4 anos mas julgo ter uma boa quantidade de sugestões para vos dar relativamente a coisas que inspiram fotograficamente e mais importante, que nos fazem evoluir como fotógrafos.

É preciso ter uma mente aberta, saber aceitar que a fotografia é um processo de evolução, o que gostávamos ontem deixou hoje de ter piada, o que fizemosno passado e não tinha piada deve ser revisitado e reinventado. Hoje partilho convosco algumas sugestões de como poder alargar o vosso conhecimento e ficar inspirados mais facilmente.



1. Começo pelo Photoshop  e edição fotográfica. Alguns odeiam edição e outros vivem sem ela, por muito simples que seja a edição que faço às minhas fotos todas passam por este processo. Algumas vezes exagerei nas minhas edições mas só aprendi com isso, hoje não cometo os mesmo erros e sei que no futuro farei coisas totalmente diferentes sem dúvida. Editar é uma forma de auto conhecimento, de experimentação.

2. Cultura. Sejam livros, filmes, revistas ou música, quanto mais informação adquirimos mais ideias acabamos por ter para registos fotográficos ainda que na maior parte das vezes o façamos de forma involuntária, inconsciente. A minha dica neste campo é que não se limitem ao que gostam, ouçam o que gostam mas também outros géneros (Tchaikovsky tal como Funami podem ser grandes impulsionadores para fotografia mais caótica e artística por exemplo), levem o leitor de mp3 e ouçam música ao mesmo que tempo que fotografam. Relativamente às leituras, qualquer livro pode ser uma interessante inspiração, mais uma vez leiam o que gostam mas abram os olhos para outras publicações. Dentro do campo das revistas, sugiro algumas menos óbvias como por exemplo a Umbigo, a famosa Vogue (toda mescla da indústria da moda é muito rica em sugestão fotográfica ainda que possivelmente o vosso género de fotografia preferido não recaia na moda), a Americana Juxtapoz (aberta a todo o tipo de cultura moderna que de qualquer forma vos poderá inspirar), a Portuguesa zOOm (que destaca fotógrafos amadores Portugueses) ou até a Courier para trabalho no campo fotojornalistico. Dentro dos filmes, abram o vosso interesse para os clássicos sobretudo, destaco Alfred Hitchcock e Orson Welles, e dos mais recentes o fantástico Quentin Tarantino, etc. Depois existem inúmeros documentários e curtas metragens Portuguesas de grande qualidade que são grandes fontes de inspiração. Etc, etc, etc. Absorvam o que puderem.

3. Ler manuais de fotografia. Mais que inspiração dão conhecimento, existe sempre um pequeno pormenor que desconheciamos ou uma forma de fucionamento que explicada nos ajuda a capturar melhores fotografias.

4. Mercados municipais e feiras. Apercebi-me do grande valor fotográfico destes locais, não deixem de os visitar mas, eh eh eh, devem ter cuidado com a forma como abordam a etnia cigana muitas vezes presente, provavelmente vão achar que são inspectores ou algo do género. Já me aconteceu, basta explicar e manter a calma.

5. Fotos debaixo de água. Fantástico, adorava que a minha máquina fotográfica sub-aquática fosse melhorzinha, aqueles sacos estanques para DSLR’s não me inspiram confiança e as caixas de plástico são demasiado caras. Mas tentem adquirir uma compacta resistente à água (já existem a 50€) e experimentem, depois dão a máquina aos mais novinhos da família e é uma alegria.

6. Fotografia alternativa. Experimentem comprar uma daquelas máquinas baratas de filme com efeitos especiais da Lomography, ou adquiram lentes e acessórios alternativos da Photojojo (os blogs destes dois sites são também muito interessantes, sigam para boas fontes de inspiração). Tenho gasto algum dinheiro com estas duas lojas e não me arrependo nada, são sempre boas experiências que me fazem abrir os olhos para géneros novos de fotografia. Não tenham medo de quebrar as regras e coloquem plásticos e filtros loucos à frente das lentes, não se vão arrepender. Ah, não se esqueçam que a Polaroid ainda existe, e mais uma dica, o filme (quer seja rolo ou instantâneos Polaroid) fora da validade pode produzir efeitos fantásticos.

7. Entrar em grupos Flickr e conhecer gente que partilha do mesmo gosto. Ninguém sabe a mesma coisa e toda a gente tem algo para mostrar e ensinar. É uma mais valia conhecer gente nova e fazer amigos com o mesmo hobbie que nós. Sugiro os Portugueses IlustrarPortugal e o IP Tertúlia (é um grupo restrito que julgo estar ainda a aceitar novos membros, basta ser assíduo e mostrar interesse, caso contrário serão substítuidos por outros interessados) onde são analisadas fotos, criados desafios e onde entramos à conversa com fotógrafos profissionais nacionais e internacionais.

8. Alterar as alturas em que saímos para fotografar. Fotografar a uma hora do dia diferente do habitual pode trazer enormes surpresas, saiam de casa a meio da noite ou de madrugada para resultados que não estavam à espera.

9. Ler blogs. Existem centenas de blogs de fotografia em Português, milhares (senão milhões) em Inglês, procurem-nos e sigam o que vão partilhando (sugiro que para isto usem o Google Reader, uma boa forma de estarem sempre actualizados com o que acontece nos vossos blogs preferidos).

10. Aprendam a receber críticas e a saber criticar. Quando passamos a criticar as fotos de outros acabamos por exijir mais de nós, a mostrar ao mundo só o que realmente é bom.

11. Imprimir fotos. Começei a imprimir mais recentemente e ter algumas fotos minhas espalhadas pela casa faz com que tenha mais vontade de sair para fotografar, são o trunfo do que gosto de fazer, o resultado de algo que nunca terá um fim. Ver o nosso próprio trabalho exposto é um grande impulso para querer fazer mais e melhor.

E é tudo por hoje. Abraços e boas fotos.

Todas as fotos neste post são da autoria de Félix Pagaimo. Copyright All rights reserved

  1. f3lixphotography posted this